Arquivo para junho 2008

As Sete Profecias Maia – Vídeo   1 comment

As Sete Profecias Maia

  Parte 1

   Parte 2

   Parte 3

   Parte 4

   Parte 5

Anúncios

Publicado 20/06/2008 por leoacristica em Vídeos

O Evangelho Proibido de Judas – Vídeo   Leave a comment

Esta é uma revelação que com certeza vai suscitar discussões acaloradas: De acordo com um texto antigo recém-descoberto, o chamado “Evangelho de Judas”, o discípulo conhecido por ter traído Jesus pode ter sido o servo mais fiel do Cristo e ter aceitado a desgraça perpétua por levá-lo à morte – devido a um pedido do próprio Salvador. Examine a móstoca do pensamento do início da era cristã, expresso em palavras escritas em um papiro encadernado em couro e atribuídas ao próprio Jesus. Ouça as interpretções de quatro estudiosos da Bíblia. Acompanhe o trajeto deste documento frágil, de sua descoberta no Egito a sua tradução, culminando na apresentação ao mundo. E saiba a respeito de como as informações contidas nele pode abalar as bases da fé cristã.Perdido durante quase 1.700 anos, um manuscrito em papiro já se desfazendo apresenta a história do homem mais odiado da história sob nova luz.

AUTOR: Andrew Cockburn
FOTÓGRAFO: Kenneth Garrett

Décadas atrás, as doutrinas desse tipo eram vislumbradas sobretudo por meio de críticas feitas por antagonistas como Irineu, mas em 1945 camponeses egípcios encontraram um conjunto de textos gnósticos, perdidos havia muito tempo, enterrados em um jarro de cerâmica próximo à cidade de Nag Hammadi. Entre eles havia mais de uma dúzia de versões totalmente novas de ensinamentos de Cristo, incluindo os evangelhos de Tomé e Felipe e um Evangelho da Verdade. Agora temos o Evangelho de Judas.

O Evangelho de Judas reflete com clareza a luta travada muito tempo atrás pelos gnósticos e pela Igreja hierárquica. Na primeira cena, Jesus ri dos discípulos por orarem para “seu deus”, referindo-se ao desastroso deus que criou o mundo. Compara os discípulos a um sacerdote em um templo (uma referência à Igreja preponderante), a quem chama de “ministro do erro”, plantando “árvores sem frutos, em meu nome, vergonhosamente”. Desafia os discípulos a olhar para ele e compreender o que ele de fato é, mas eles não o olham.

A passagem mais importante é aquela em que Jesus diz a Judas: “Sacrificáras o homem que me veste”. Em outras palavras, Judas matará Jesus – e com isso lhe fará um favor. “Enfim ele se livrará de seu invólucro material, a carne de seu corpo, e libertará o verdadeiro Cristo, o ser divino que ela contém”, diz Meyer.
(Judas Iscariotes, que se transformou no homem mais odiado da cristandade, foi o discípulo mais devoto e o amigo mais fiel do Salvador. Ele sacrificou o próprio nome para honrar o pedido de Jesus para que o traísse.)

O fato de essa tarefa ter sido confiada a Judas é um indicador de sua posição especial. “Levanta os Olhos, vê a nuvem e a Luz dentro dela e as estrelas ao redor”, Jesus lhe diz para encorajá-lo. “A estrela que mostra o caminho é a tua estrela.” Finalmente, Judas tem uma revelação, na qual ele entra em uma “nuvem luminosa”. As pessoas abaixo ouvem uma voz saída da nuvem, embora o que ela diz possa não vir jamais a ser conhecido, pois nesse trecho há um rasgo no papiro. O evangelho termina abruptamente com um comentário afirmando que Judas “recebeu dinheiro” e entregou Jesus aos que o vinham prender.

Após quase 2 mil anos, o homem mais odiado da história está de volta.

Todos se lembram do grande amigo de Jesus Cristo, um dos Doze Apóstolos, que o vendeu por 30 moedas de prata, identificando-o com um beijo. Depois, enlouquecido de remorso, Judas se enforcou. Ainda hoje, ele é o símbolo supremo da traição.

O manuscrito secreto mostra-nos um Judas muito diferente. Ele é um herói. Ao contrário dos outros discípulos, realmente compreende a mensagem de Cristo. Quando entrega Jesus às autoridades, está fazendo o que seu mestre pediu, sabendo o destino que irá acarretar para si mesmo. Jesus o avisa: “Serás amaldiçoado”.

A mensagem é chocante o suficiente para despertar suspeitas de fraude, coisa comum em se tratando de artefatos que se dizem bíblicos.

Assista aos vídeos e comprove!!

  

    Parte 1

    Parte 2

    Parte 3

    Parte 4

    Parte 5

Deixe seu comentário!

Publicado 20/06/2008 por leoacristica em Vídeos

Oração À Mim Mesmo   Leave a comment

Richard Cleyderman – Coeurs D’Or

   http://www.mp3tube.net/play.swf?id=5fda61f1ac46789087ebe68091d38c3d

 

Oração a Mim Mesmo

Que eu me permita olhar e escutar e sonhar mais. Falar menos. Chorar menos.
Ver nos olhos de quem me vê a admiração que eles me têm
e não a inveja que prepotentemente penso que têm.
Escutar com meus ouvidos atentos e minha boca estática,
as palavras que se fazem gestos e os gestos que se fazem palavras.
Permitir sempre escutar aquilo que eu não tenho me permitido escutar.
Saber realizar os sonhos que nascem em mim e por mim e
comigo morrem por eu não os saber sonhos. Então, que eu possa viver
os sonhos possíveis e os impossíveis; aqueles que morrem e ressuscitam a
cada novo fruto, a cada nova flor, a cada novo calor, a cada nova geada, a cada novo dia.
Que eu possa sonhar o ar, sonhar o mar, sonhar o amar, sonhar o amalgamar.
Que eu me permita o silêncio das formas, dos movimentos, do impossível,
da imensidão de toda profundeza.

 
Que eu possa substituir minhas palavras pelo toque, pelo sentir, pelo compreender,
pelo segredo das coisas mais raras, pela oração mental (aquela que a alma cria e que só ela,
alma, ouve e só ela, alma, responde).
Que eu saiba dimensionar o calor, experimentar a forma, vislumbrar as curvas, desenhar as retas,
e aprender o sabor da exuberância que se mostra nas pequenas manifestações da vida.
Que eu saiba reproduzir na alma a imagem que entra pelos meus olhos fazendo-me
parte suprema da natureza, criando-me e recriando-me a cada instante.
Que eu possa chorar menos de tristeza e mais de contentamentos.
Que meu choro não seja em vão, que em vão não sejam minhas dúvidas.
Que eu saiba perder meus caminhos mas saiba recuperar meus destinos com dignidade.
Que eu não tenha medo de nada, principalmente de mim mesmo:
– Que eu não tenha medo de meus medos!
Que eu adormeça toda vez que for derramar lágrimas inúteis,
e desperte com o coração cheio de esperanças.
 
Que eu faça de mim um homem sereno dentro de minha própria turbulência,
sábio dentro de meus limites pequenos e inexatos, humilde diante de minhas grandezas tolas e ingênuas
(que eu me mostre o quanto são pequenas minhas grandezas e o quanto é valiosa minha pequenez).
Que eu me permita ser mãe, ser pai, e, se for preciso, ser órfão.
Permita-me eu ensinar o pouco que sei e aprender o muito que não sei,
traduzir o que os mestres ensinaram e compreender a alegria com que os simples
traduzem suas experiências; respeitar incondicionalmente o ser; o ser por si só,
por mais nada que possa ter além de sua essência, auxiliar a solidão de quem chegou,
render-me ao motivo de quem partiu e aceitar a saudade de quem ficou.
Que eu possa amar e ser amado.
Que eu possa amar mesmo sem ser amado, fazer gentilezas quando recebo carinhos;
fazer carinhos mesmo quando não recebo gentilezas.
Que eu jamais fique só, mesmo quando eu me queira só.

Amém

– Oswaldo Antônio Begiato –

 
 
 

Publicado 04/06/2008 por leoacristica em Orações